Saiba mais sobre o biocombustível das plantas

Saiba mais sobre o biocombustível das plantas. Esse combustível verde (gerado dos vegetais) é totalmente renovável e apresenta estrutura físico-química bem parecida a do diesel de petróleo.

O biocombustível das plantas gera uma energia renovável e não corrosiva, bem menos agressiva ao meio ambiente

Saiba mais sobre o biocombustível das plantas

O mundo tem se preocupado com os males que o combustível fóssil promove ao meio ambiente. A queima de gasolina e diesel lança gases poluentes na atmosfera terrestre ano após ano. Felizmente, com o avanço da tecnologia, tornou-se possível fabricar combustível de plantas como a “mamona, que pode ser cultivada em várias regiões do país, sob diversas condições climáticas”, afirma Reinaldo Nunes de Oliveira, professor do Curso a Distância CPT Cultivo e Processamento de Mamona, em Livro+DVD e Online, da Área Biocombustíveis.

Entretanto, para que o óleo dessa planta se torne biocombustível, é indispensável que ele reaja com o álcool (etanol ou metanol). Na reação, o óleo reduz o número de átomos e se torna semelhante ao diesel fóssil. Para isso, são utilizados dois processos conhecidos como transesterificação e a esterificação. Sem eles, o óleo extraído do vegetal não faria funcionar os motores a diesel.

Um dos principais elementos do óleo vegetal são os triglicerídeos (três cadeias longas de ácidos graxos ligadas a uma molécula de glicerina – daí o nome), que reagem com os álcoois com a ajuda de um catalisador. Como resultado, cada cadeia de ácido graxo se rompe da glicerina (aproveitada na fabricação de cosméticos, medicamentos, detergentes e alimentos) formando o biodiesel.

Esse combustível verde (gerado dos vegetais) é totalmente renovável e apresenta estrutura físico-química bem parecida a do diesel de petróleo. Ainda assim, o biocombustível não pode ser adicionado diretamente no motor, pois é altamente denso e viscoso. Por esse motivo, ele deve ser misturado a determinada porcentagem de diesel fóssil para um eficiente funcionamento do motor.

É importante ressaltar que não apenas a mamona é matéria-prima para fabricação de biocombustível, como também o pinhão-manso, o girassol, a palma, o dendê, o amendoim, o algodão, o milho e a soja. Não podemos nos esquecer das gorduras animais, dos resíduos de fritura e do esgoto. No caso do óleo residual de fritura, utilizado na produção de biodiesel, trata-se de uma medida ecologicamente sustentável. O mesmo vale para o esgoto.

Quanto aos grãos esmagados (soja, milho, girassol e outros) no processo para gerar biodiesel, estes são utilizados na lavoura como adubo. Isso porque a biomassa formada do processamento é altamente nutritiva.

Fonte: Mundo Educação.

Confira o artigo "Cadeia de produção do biodiesel da mamona" e aprimore ainda mais o seu conhecimento.

Administrador 07-02-2018 Biodiesel

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.