Técnicas de plantio da mamona para a produção de biodiesel

A mamona vem despontando como uma promissora fonte para a fabricação de combustível

A melhor época para o plantio da mamona é determinada pela temperatura, distribuição de chuvas, luminosidade e o ciclo da cultivar. Sendo assim, o melhor período é o de início das chuvas. A mamona plantada nesse período terá boa germinação, com bom stand e condições favoráveis ao desenvolvimento inicial das plantas.

Havendo distribuição razoável de chuvas, a cultura não sofrerá déficit hídrico durante o período de floração e frutificação. O mesmo é válido para a temperatura. Baixas temperaturas no período de frutificação reduzem sensivelmente o teor de óleo na semente.

Nívio Poubel Gonçalves, professor do curso Cultivo e Processamento de Mamona, elaborado pelo CPT - Centro de Produções Técnicas, recomenda o plantio de sementes certificadas e de boa procedência. Deve-se evitar o plantio de sementes com defeito, chochas, ardidas e que apresentem ferimentos devido ao beneficiamento.

A boa germinação das sementes depende da temperatura e umidade do ar e está também relacionada à profundidade de plantio, que varia em função do solo. Em solos mais arenosos, o plantio dever ser mais profundo, de 6 a 8 cm dentro do sulco ou na cova. Esse procedimento favorecerá o melhor aproveitamento da umidade do solo. Em solos mais argilosos, que tendem a reter mais umidade, o plantio deve ser realizado em uma profundidade de 4 a 5 cm. Em qualquer caso de plantio, a semente deve ser coberta com uma leve camada de terra.

Para determinar o espaçamento e a densidade de plantio, deve-se considerar o porte da cultivar, a fertilidade do solo, a adubação que será realizada e o sistema de plantio, que pode ser solteiro, consorciado, em fileiras simples ou em fileiras duplas.

Para o plantio solteiro é recomendado o espaçamento de acordo com o porte da cultivar.

Porte Anão: 1,0 m entre fileiras e 1,0 m entre plantas (10.000 plantas/ha).

Porte Médio: 1,5 m entre fileiras e 1,2 m entre plantas (5.555 plantas/ha)

Porte Alto: 3,0 m entre fileiras e 1,0 m entre plantas (3.333 plantas/ha).

No plantio consorciado são cultivadas duas ou mais culturas numa mesma área. Essa prática é muito empregada por pequenos produtores para melhorar a utilização dos recursos e assegurar a diversidade de alimentos. Para o consórcio com a mamona, as espécies recomendadas são: feijão, caupi, soja, algodoeiro herbáceo, abóbora e milho. No plantio consorciado deve-se utilizar o sistema de fileiras duplas. Exemplo: mamona/feijão - 4,0 m entre fileiras duplas; 1,30 m entre as duas fileiras; 1,0 m entre as plantas. Entre as duas fileiras duplas serão plantadas cinco linhas de feijão, guardando entre si a distância de 0,5 m e 1,0 m de cada lado das fileiras de mamona.

Por: Virgínia Maria de Araújo

Virginia 06-01-2012 Matérias-Primas

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.