Incidência de raios é alta na primavera

Os raios são comuns na primavera devido ao aumento da temperatura da atmosfera

Incidência de raios é alta na primavera

A mudança de estações, no dia 22 de setembro, trouxe fortes chuvas em muitas regiões do país. Com a chegada da primavera, os temporais são mais frequentes assim como a incidência de raios. As regiões Sudeste e Centro-Oeste, castigadas pela seca, poderão respirar aliviadas com o aumento do índice pluviométrico. Por outro lado, as tempestades elétricas também serão comuns devido ao aumento da temperatura da atmosfera.

Nos últimos seis anos, a média anual de raios chegou a 77,8 milhões conforme pesquisa realizada, em 2017, pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Inpe - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. A maior incidência de raios, por quilômetro quadrado, ocorre em Tocantins (17,1), no Amazonas (15,8), no Acre (15,8), no Maranhão (13,3), no Pará (12,4), em Rondônia (11,4), no Mato Grosso (11,1), em Roraima (7,9), no Piauí (7,7) e em São Paulo (5,2).

De acordo com o levantamento do Elat, Rio Branco lidera entre as cinco capitais com maior densidade de raios por quilômetro quadrado (30,13), seguida por Palmas (19,21), Manaus (18,93), São Luiz (15,12), Belém (14,47) e São Paulo (13,26). Na capital paulista, Osasco, Santo André, São Bernardo do Campo e Guarulhos chegam a valores de densidade acima de 10 devido à urbanização.

Segundo Osmar Pinto Júnior, coordenador do Elat, o Brasil é líder mundial em incidência de raios por ser o maior e mais quente país da região tropical. Como consequência, as tempestades elétricas são mais frequentes. Na primavera e no verão, estações mais quentes do ano, a incidência de raios aumenta, mas de forma distinta entre uma região e outra. As mortes por raio vêm de dois fatores específicos: alta incidência de raios e grande número de pessoas na região.

Porcentagem de mortes por raios no país:


->Pessoas em atividades rurais (25%);
->Pessoas dentro de casa (18%);
->Pessoas próximas a veículos (10%);
->Pessoas embaixo de árvores (8%);
->Pessoas jogando futebol (7%);
->Pessoas embaixo de coberturas (5%);
->Pessoas na praia (4%).

Pessoas em atividades em céu aberto apresentam maiores chances de serem atingidas por raios. Entretanto, a porcentagem de pessoas atingidas por raio dentro de casa é preocupante (18%). Geralmente, elas são atingidas, indiretamente, no momento em que o raio atinge a rede elétrica. Por isso, durante as tempestades, é importante se afastar de objetos ligados à rede elétrica e tomadas.

Durante as tempestades elétricas:


->Não fique em locais altos;
->Não fique embaixo de árvores;
->Não deite no chão;
->Não fique perto de poças de água;
->Não fique perto de objetos condutores de eletricidade.

Conheça os Cursos a Distância CPT, constituídos de Livro+DVD, e Cursos Online, da Área Meio Ambiente.

Leia o artigo "Importância do uso de geradores no agronegócio".

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br

Andréa Oliveira 03-10-2018 Meio Ambiente

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.