Centro de Produções Técnicas

Piauí, quarto maior produtor de energia eólica do país


O Piauí é o quarto maior produtor de energia eólica do país, graças aos ventos do semiárido, propícios a esse tipo de energia alternativa

energia eolica producao de biodiesel Piauí, quarto maior produtor de energia eólica do país
“Nos países de grande dimensão territorial, como o Brasil, e com dificuldades para montar um programa de geração de energia elétrica, que acompanhe o seu desenvolvimento, as fontes de energia alternativa, como a energia eólica, passam a exercer um papel muito importante”, afirma Antônio Leite de Sá, professor do Curso a Distância CPT Energia Eólica – Para Geração de Eletricidade e Bombeamento de Água, em Livro+DVD e Online, da Área Energia Alternativa.

Não só a qualidade dos ventos como a sua constância viabilizam a implantação de parques eólicos, como ocorre no Piauí. Por isso, o estado é o quarto maior produtor de energia eólica do país, graças aos ventos do semiárido, propícios a esse tipo de energia alternativa. Segundo a Abeeólica – Associação Brasileira de Energia Eólica, a região gera 1.085 megawatts, distribuídos a 3,2 milhões de habitantes – muito além do seu consumo mensal de 876 MW.

O estado conta com seis usinas – Araripe I, Araripe II, Araripe III, Chapada do Piauí, Delta 1 e Pedra do Sal. Mas, em breve, serão inauguradas outras cinco usinas de energia eólica piauienses – Ventos São Vicente, Lagoa do Barro, Delta do Parnaíba II e Caldeirão Grande I e II. Sem falar que há uma outra usina em estudo – Serra da Ibiapaba, com capacidade para gerar 4 gigawatts de energia.

De acordo com Mário Araripe, presidente da Casa dos Ventos, grande investidora do setor de energia eólica, no semiárido piauiense, já foram injetados R$ 7,2 bilhões desde 2008. Como a região apresenta ventos constantes, a 120 metros do solo, o local é propício à construção dos parques eólicos. Sem falar que o território é extenso, o que favorece a instalação das torres, o que não é possível no litoral.

O Complexo Eólico Araripe III foi inaugurado recentemente, em junho de 2017, localizado próximo à divisa do Piauí com Pernambuco. Segundo Luís Coelho, secretário de Mineração, Petróleo e Energias Renováveis, o parque é o maior do Nordeste. Nele foram investidos R$ 1,8 bilhão – destes, R$ 20 milhões foram investidos em arrendamento de propriedades existentes na região.

Em 7 de junho de 2017, o fator de capacidade líquido (FCL) do Piauí ultrapassou 80%, uma marca acima das expectativas. O que é extremamente vantajoso para a economia local, pois possibilita o desenvolvimento da região, além de gerar emprego e preservar o meio ambiente – pois trata-se de um tipo de energia limpa, embasada na sustentabilidade.

Para estimular outras empresas a investirem na implantação de usinas eólicas no Piauí, o governo desenvolveu um projeto de incentivo (coordenado pela Secretaria de Mineração), o Propidel – Programa Piauiense de Produção de Energia Limpa. Nele, as empresas pagam tributos diferenciados se investirem na produção de equipamentos e insumos voltados à geração de energia eólica.

Fonte: Brasil 247.

Confira o artigo “Energia eólica apresenta benefícios ambientais” e aprimore ainda mais o seu conhecimento.

Você também vai gostar de ler:


Deixe seu Comentário

Marque a caixa abaixo para validar seu comentário

 

Cursos de Agroindústria

CPT - Centro de Produções Técnicas

Quer Facilidade?

Ligamos para você!


Cursos de Meio Ambiente

CPT - Centro de Produções Técnicas